Projeto prevê que vitamina D3 seja oferecida no SUS e nas farmácias populares

“O intuito é a prevenção e a melhoria na qualidade de vida da população, evitando, desta forma, uma série de doenças de alto custo de tratamento, como, por exemplo, alguns tipos de câncer, distúrbios hormonais e doenças cardiovasculares”, afirma a autora da proposta, deputada Carla Dickson.

03/11/2021 às 16:12:48 | 225 visualizações

É de autoria da deputada Carla Dickson (RN) o projeto de Lei 3759/21, que inclui a vitamina D3 na lista da Relação Nacional de Medicamentos Essenciais. De acordo com a proposta, o medicamento estará disponível no Sistema Único de Saúde (SUS) e nas farmácias populares.

A autora do texto explica que o objetivo é prevenir doenças ocasionadas pela deficiência de nutrientes que dependem da vitamina D para serem corretamente absorvidos ou fixados pelo corpo humano.

“Além disso, será possível uma grande economia de dinheiro público, uma vez que vamos evitar uma gama enorme de outras doenças de alto custo de tratamento, como, por exemplo, alguns tipos de câncer, distúrbios hormonais ligados ao paratormônio e diversas doenças cardiovasculares”, afirma a deputada.

Segundo o projeto, o fornecimento da vitamina D3 fica condicionado à prescrição de profissionais de saúde fundamentada em carência detectada por exames laboratoriais. O Governo Federal é autorizado a importar o medicamento, cuja ausência no âmbito do SUS pode causar riscos à saúde pública.

“A vitamina D pode ser encontrada em alguns alimentos, mas, a maior parte, é produzida pelo corpo humano, que por sua vez depende da exposição ao sol para cumprir seu papel. Porém, com a pandemia da Covid-19, adotamos o isolamento social e todo tipo de reunião de trabalho ou familiar passou a ser online. Por isso, é preciso disponibilizar este medicamento para a população”, explica a deputada.

Redação PROS na Câmara