Projeto confere a Cruz Machado (PR) título de capital da erva-mate sombreada

“A produção de erva-mate sombreada gera empregos e renda. Ao longo de toda sua cadeia produtiva possibilita a conservação das florestas nativas associada a espécies como a araucária e a imbuia”, diz o autor do projeto, deputado Toninho Wandscheer (PR).

28/08/2019 às 18:45:03 | 1053 visualizações



A Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (28) o Projeto de Lei 1818/19 que confere ao município de Cruz Machado, no Paraná, o título nacional de capital da erva-mate sombreada. O projeto segue para análise da Comissão de Constituição e Justiça.

“Além das belezas naturais e da cordialidade de seu povo, o município de Cruz Machado se orgulha de ser conhecido como maior produtor de erva-mate sombreada do Brasil e do mundo. A erva-mate é parte essencial, não só da economia do município, mas também da cultura e da identidade de seu povo. O hábito de saborear um bom chimarrão reúne pessoas das mais diversas idades nas praças da cidade”, diz Toninho Wandscheer.

Erva-Mate Sombreada
Já no século XVIII, a região era conhecida por abrigar um rico ecossistema com terras férteis e riscas em madeira de lei e erva-mate. A erva-mate é espécie nativa característica da floresta de araucária. Sua produção tem reconhecida importância econômica, social e ecológica. Historicamente, a prosperidade decorrente da sua exploração foi responsável pelo desenvolvimento e pela emancipação política do estado do Paraná. Com produção de 89 mil toneladas de erva-mate em folhas verdes por ano, Cruz Machado abriga mais de dez indústrias do ramo ervateiro.

Segundo o deputado, a produção de erva-mate gera empregos, renda e possibilita a conservação das florestas nativas associada a espécies como a araucária e a imbuia.

Redação PROS na Câmara